Total de
vagas
1
Vagas
disponíveis
1

Deseja participar?

Participar

PROCURA-SE CONTADOR VOLUNTÁRIO

Estamos precisando de um escritório de contabilidade para fazer o balanço financeiro todos os anos da nossa ONG, mesmo que não entre quase nada de dinheiro. Segue matérias sobre a ONG na mídia: http://gshow.globo.com/EPTV/Mais-Caminhos/noticia/2016/07/conheca-uma-turma-do-bem-que-ajuda-os-moradores-de-rua.html http://correio.rac.com.br/mobile/materia_historico.php?id=433899 A ação voluntária de um empresário de Campinas está permitindo que 20 moradores em situação de rua passem a noite em um abrigo, protegidos do frio intenso dos últimos dias. Robson Teixeira Gondim, de 40 anos, criou um espaço no Parque Oziel onde oferece colchão, cobertas, refeição e, antes das luzes do galpão se apagarem, faz uma sessão de filme para os moradores. A ação já dura 30 dias, e como o local é longe do Centro — onde se concentra a maior parte dessa população — Robson faz duas viagens com sua van para buscar os assistidos. O projeto criado por ele chama-se “Há Esperança”, e é mantido com doações de empresários e amigos. O local também funciona há cinco meses para atendimento de mais de 50 crianças do Oziel e do Itatinga, e recebem de voluntários aulas de música, futebol e estudos bíblicos. Mas com a chegada do frio, o comerciante fez do barracão um dormitório provisório até setembro, e durante o dia passa recolhendo doações nos pontos divulgados através das redes sociais e de ligações que recebe diariamente. Já passaram pelo local mais 140 pessoas. Os moradores chegam às 21h no albergue. Tomam café, comem bolo, assistem a um filme e depois fazem o que Robson chama de “momento de reflexão”. No dia seguinte eles são novamente levados ao Centro. “Eu estou dormindo com eles faz 31 dias. Tenho um lava-rápido, mas não sei como estão as coisas por lá”, confessou o comerciante, que não é novato no assunto. “Estou há 17 anos com esse trabalho nas ruas. Fui oito anos da coordenadoria de prevenção às drogas de Campinas e já passei por outros órgãos”, resumiu. Além daqueles que pernoitam no abrigo, existem dois quartos nos fundos do imóvel que funcionam como uma casa de passagem. Lá estão cinco moradores em situação de rua que passam por um processo de reinserção na sociedade. Ou seja, eles têm abrigo, alimentação e passam o dia ajudando na manutenção do projeto. “Faço uma seleção e observo aquele que realmente está muito disposto a deixar as ruas. Recebi uma ligação dia desses de um empresário dizendo que um ex-morador de rua que ele empregou está subindo de cargo. Eu me emociono em falar.” Depois do albergue municipal no bairro Bonfim, com 150 vagas, Robson não conhece outra instituição na cidade que dê abrigo nos mesmos modelos que ele implantou. “Foi Deus quem me despertou para ajudar essas pessoas. Estava andando de moto um dia e me veio uma vontade imensa de ajudar essa população”, contou, emocionado. Nesta quinta, alguns moradores que passaram a noite no albergue permaneceram durante o dia para estrearem a lavanderia. ‘Um lugar desses é abençoado’ Luiz Nascimento, de 47 anos, há 18 nas ruas de Campinas, após desilusão amorosa, passa o dia perambulando nas imediações do Viaduto Cury. “À noite o frio corta a gente. Um lugar desses é abençoado”, disse. Seu colega Fernando Pereira de Araújo, de 32 anos, concorda, e nem lembra mais quando chegou de Pirassununga. Ambos, juntamente com o empresário Robson Gondim, passaram a integrar a cúpula local do Movimento Nacional dos Moradores de Rua. Agora começarão articular discussões como abordagem dos moradores pelas forças policiais e moradia, e levar a âmbito nacional. “Neste fim de semana vamos participar do encontro estadual dos moradores, e vamos levar nossas reivindicações”, frisou Robson. “Neste ano não vamos deixar morador de rua morrer de frio”, disse ele, lembrando que no ano passado, em um período de três meses, dez moradores foram vítimas de combinações fatais para quem está nessas condições, que são o álcool, frio e violência. https://www.facebook.com/Projeto-H%C3%A1-Esperan%C3%A7a-219138754849512/

Informações adicionais
Organização Proponente PROJETO HA ESPERANÇA
Unidade
Endereço CAMPINAS-SP
Telefone (19) 9673-9850
Responsável FELIPE MONTAGNANA ANTUNES
E-mail para contato
Exigência de linguas Não
Cidade CANDANGOLANDIA
Vagas disponíveis 1
Voluntários cadastrados 0
Voluntários atuantes 0
Pessoas beneficiadas 181
Eixos de atuação Assistência Social     Direitos Humanos     Educação     Recreação     Saúde     Recreação e Lazer     Empreendedorismo     Economia Solidária     Desenvolvimento Sustentável     Justiça e Cidadania     Desenvolvimento Social     Artesanato     Cidadania     
Público de interesse Criança e Adolescente     Dependentes Químicos     Comunidade     Mulheres     Juventude     Catadores de materiais recicláveis     
Cronograma
Data da campanha: 01/01/2017 até 01/01/2018
Manhã: 7h - 12h Tarde: 12h - 18h Noite: 18h às 22h
Dia Período
Domingo
Segunda
Terça
Quarta
Quinta
Sexta
Sábado
Período de inscrições: 01/01/2017 até 01/01/2018

Deseja participar?

Participar